Páginas

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Feliz Aniversário Ricardo.

Tem um blog que sempre estou visitando, é o blog da Ana, Lado de fora do coração. 
Amo as suas cronicas e textos, e entre um post e outro, me deparei com um post muito 
legal que ela estava participando, "Especial Sobre Partos". Emocionei com a história que ana contou 
sobre " parto do coração". Dai fiz um comentario onde conto que também tive um parto do coração,
e resolvi homenagiar meu irmão com esta história.

Parto do coração


Em 1978 começa a acelerar o processo de redemocratização, mas as coisas ainda estavam confusas e perigosas ainda mais pra quem era dos movimentos estudantis da esquerda. E foi nesse ano vésperas de natal que um tio que fazia parte desses movimentos nos aparece com um presente de natal, uma criança recém nascida com apenas três dias, contando uma história um tanto confusa. Ele nos disse que a criança era seu filho e que a mãe havia morrido no parto. ( nas minhas fantasias já cheguei a imaginar que a mãe biológica estava envolvida também nos movimentos...) assim meu tio perguntou se podia deixá-lo conosco alguns dias até que organizasse sua vida. Foi aquela correria... Roupinhas, fraldas, berço e etc... 

Eu com os meus sete anos nem percebia que estava acabando de dar a luz de um menino lindo, um parto sem dores sem sofrimento, só encantamento! O que não esperávamos era que meu tio desaparecesse por um bom tempo, e nós assumimos aquela criança como filho, falo nós porque meus pais teve uma grande prole e os filhos mais velhos iam cuidando dos mais novos, enfim...Todos nós irmãos tivemos a nossa participação, mas como meus irmãos eram mais velhos e estavam iniciando suas vidas profissionais, fui oficialmente eleita a pajear a criança, fiquei feliz!

Tinha sido caçula durante cinco anos, depois nasceu minha irmã que era especial, e como ela era especial não podia cuidar dela como meus irmãos fizeram comigo. Quanto mais velha ia ficando mais aumentava a minha responsabilidade com ele, minha mãe passava grande parte do seu tempo em clinicas de reabilitação com minha irmã, e eu com ele. O tempo passou, meus irmãos foram casando e nós dois juntos.
Quando casei ficamos separados alguns meses e logo após o meu casamento, meu pai aposentou-se e mudou para uma chácara, e meu “filho” já com seus vinte poucos anos ficou morando comigo. E nós dois juntos de novo!! No ano passado nos separamos porque ele casou, e mesmo com tantas relias e brigas, sinto falta dele me pentelhando. Quando ele mudou, ficou alguns meses me ligando todos os dias pra pedir “a benção”.

Estou contando essa história pra diz que, a vida tira “injustamente” de uns por motivos diversos e presenteiam outros por algum motivo. Penso nos sofrimentos das mães que são sujeitas a tal atitude, para muitas esse momento de separação é a morte! Sinto pena de todas as mães que tiveram de afastar de seus filhos.
...Assim nasceu ele! Filho de todos nós!

Depois te tantos anos esta acontecendo uma reaproximação dele com o pai biológico. Estou na torcida que tudo possa dar certo e que ele possa conhecer a sua família biológica, mesmo sentindo um pouquinho de ciúmes, também pudera trinta e três anos pajeando. 

Feliz Aniversário Ricardo!!

9 comentários:

  1. Uma história linda, que transpira afeto, amor, carinho.
    Felicidades aos dois! Beijo

    ResponderExcluir
  2. Lindo!
    Vc é linda por fora e por dentro :)

    ResponderExcluir
  3. ver a parte de sua historia contada com tanta ternura e com muita poesia , é muito bom .
    também espero que o final seja feliz ( pai e filho )
    porque o incio foi de encantamento e esperança.
    parabens a todos nós que apesar de tudo ... temos uma linda família.
    beijos ...
    carla

    ResponderExcluir
  4. Nossa prima que lindo!!!!!!eu so sabia um pouquinho dessa historia,,,que a tia nos contou,espero que tenha um final feliz para eles,ele venha entender,perduar e amar o pai,que viu em vcs a familia certa para acolher e cuidar e amar educar como filho...bjus no coraçao...to amando seu blog...cris

    ResponderExcluir
  5. Queremos post novo, tam! tam! tam!

    Quero tb provar um certo pudim :)

    Bjo doce e desejo de uma semana linda pra vc.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Olha eu de novo aqui hj :)

    Segue link do post que acabei de publicar para vc e a parte escrita dele segue abaixo, o carinho, as mil imagens que pensei colocar, a minha gratidão e satisfação, não cabem num post, não cabem em palavras, não estão nem cabendo em mim :)

    http://blogdtina.blogspot.com/2011/12/salve-ale.html

    "Quem dera
    Pudesse todo homem compreender
    Ó mãe, quem dera
    Ser o verão no apogeu da primavera
    E só por ela ser"
    Gilberto Gil

    Eu hoje tive a primavera no apogeu do verão.

    Espero por um cartão de um amigo secreto de cartões que participei,
    inclusive choraminguei mais cedo no Blog organizador.

    A expectativa é por um envelope por debaixo da porta.
    O interfone toca e o porteiro diz:
    "Sr.ª Cristina tem correspondência registrada para a senhora assinar!"
    Desço contando que seja o cartão, registrado,
    conforme instrução da organizadora.

    Eis, que lá estava um pacotinho, a remetente: Alessandra
    Exclamei em pensamento: Não há nada de secreto nessa amizade!

    Subi e ao abrir o pacote com todo cuidado
    para guardar a parte da remetente, da destinatária, o selo e etiqueta,
    que irão para a minha agenda e caixinha de tesouros,
    dei de cara com uma linda caixa (amo caixas).

    Dentro da caixa um varal com as roupinhas do Senhor Noel,
    devidamente lavadas e estendidas,
    serei guardiã até o ano que vem com todo carinho, haviam ainda 3 chocolates,
    papéis seda verde e vermelho alegrando o interior da caixa
    e um envelope com um lindo cartão com o trecho
    de uma linda canção-poema da minha conterrânea Maria Bethânia.


    "Num meio-dia de fim de primavera eu tive um sonho
    Como uma fotografia: eu vi Jesus Cristo descer à Terra
    Ele veio pela encosta de um monte, mas era outra vez menino,
    A correr e a rolar-se pela erva
    A arrancar flores para deitar fora
    e a rir de modo a ouvir-se de longe."

    Além da poesia de Bethânia, palavras doces como poesia de Alessandra
    e uma observação que me deixou surpresa: eu não fui a minha amiga secreta dela.

    "A vida, esta vida que inapelavelmente,
    pétala a pétala, vai desfolhando o tempo,
    parece, nestes meus dias, ter parado no bem-me-quer."
    José Saramago

    ResponderExcluir
  9. Fiquei tão agitada que escrevi, errei no português, na digitação, apaguei duas vezes, mas agora foi.
    Detalhe: Carol uma cúmplice sapeca, igual a tia :)

    ResponderExcluir